Alga-Bacon pode se tornar uma nova saída para ajudar pessoas a aderirem ao veganismo

Bacon é uma das palavras de ordem mais comuns no vocabulário dos carnistas, anti-veganismo e anti-libertação animal. Muitos argumentam que o veganismo pode produzir tudo parecido ao original, menos o bacon e que eles não se importam de matar ou torturar um animal desde que tenham bacon à mesa. Isto, aliás, é um argumento muito forte para onívoros não aderirem ao veganismo, principalmente em países que consomem o prato nas refeições principais, como nos Estados Unidos e Inglaterra.

img_alga_bacon

Recentemente, porém, cientistas da Oregon State University descobriram que a alga vermelha Dulse (Palmaria palmata), quando frita e defumada, tem um gosto extremamente similar ao bacon original, com a vantagem de ser ecologicamente correta, livre de crueldade, sem gordura saturada e ainda apresentando quantidade elevada de proteínas, ferro, cálcio e magnésio.img_alga_bacon2

Para tornar o produto economicamente viável, o grupo agora está estudando uma maneira de criar um ambiente similar ao oceano em tanques para produção comercial. A alga tem uma velocidade de crescimento bastante elevada e sua produção controlada evita a absorção de toxinas do mar pela alga, fenômeno muito comum.img_alga_bacon3

Ainda não testamos, porém é fato que o bacon já não será mais um problema e muito menos uma desculpa para que onívoros adiram ao veganismo, afinal, a alga-bacon é muito mais vantajosa do que o bacon original em muitos sentidos e, principalmente, não há mais crueldade associada à exploração animal.

Assista o vídeo com legenda exclusiva Cultura Veg sobre a Alga Bacon: