Entrevista: A arte de Katharina Rot vegana e ativista

Leia a entrevista exclusiva com a artista e ativista vegana Katharina Rot, ela mora e trabalha em Hamburgo na Alemanha.

foto_artista_vegana_Katharina Rot2

Primeiramente gostaríamos de agradecer pela entrevista e pelo incrível trabalho em prol dos animais. Parabéns.

Você já era vegana quando você iniciou com as artes ou o veganismo te inspirou a criar algo diferente?

Eu comecei desenhado desde muito cedo então eu nunca mais parei. Em toda minha infância e na juventude eu tinha preferência por desenhos com a temática de animais, criava novas espécies ou fazia quadrinhos de animais, então eu sempre tive essa conexão com eles. Talvez isto me ajudou a me tornar vegana mais tarde. Quando eu me tornei ativista pelos direito dos animais, minhas ilustrações mudaram sutilmente em outra direção, assim os desenhos se tornaram a maneira de eu lidar com a dura realidade que eu vivia e minhas  experiências pessoais.Katharina Rot3Sobre isso, cada vegano tem uma história interessante sobre o veganismo. Qual a sua? Um livro, uma amigo, um documentário, ou foi um estalo?

Eu me tornei vegetariana depois de passar um ano na Irlanda, onde o pai da família que eu estava era  açougueiro e eu me confrontava com os porcos pendurados na sala do lado. Depois que eu larguei a carne e comecei a me engajar no assunto e em uma tarde de 2007 eu fui a um protesto anti-pele da marca Escada que estava acontecendo na cidade, lá eu me vi no meio dos veganos pela primeira vez e somente um pouco mais tarde me tornei vegana.

“A memória mais forte que eu tenho foi um javali que levou um tiro direto na minha frente”…

O que mais inspira seu veganismo? E como isso afeta sua arte?

Veganismo como uma dieta ou estilo de vida nunca foi uma grande coisa para mim, era algo natural e normal depois eu comecei a pensar mais a respeito. Isso era mais que ativismo pelos direitos dos animais que me inspirava e aquilo sempre estava fluindo no meu trabalho. Eu só penso que esses problemas devem ser levados para fora do nosso mundo, então eu continuei desenhando.

  “A arte é uma experiência imediata tanto quanto escrever pode ser e isso desperta as emoções”…

Voltando nisso nós notamos que na sua arte está presente muitos animais especificamente afetados pela caça e a indústria de peles. Por quê isso? Este é um assunto especial que você gostaria de destacar na comunidade vegana?

Como eu disse anteriormente, minha arte se tornou um modo de lidar com minhas próprias experiências. Eu fiz muitos desenhos sobre os porcos em confinamento depois de ter entrado lá para pesquisar durante a noite e eu tinha de expressar essas minhas visões pesadas que eu presenciei lá. A mesma coisa com caça, como eu passei um tempo na floresta no sudeste da Suécia onde eu morei em uma casa que pertencia a um caçador e estava lidando com a morte de veados todos os dias da minha vida. Eu também fiz parte de um grupo de sabotadores de caça, onde a memória mais forte que eu tenho foi um javali que levou um tiro direto na minha frente. Tudo o que eu desenho está ligado com experiências que eu tive e sentimentos que resultaram delas. Eu nunca tinha percebido que eu tinha feito tantos desenhos sobre pele, mas que podem ser por conta das campanhas anti-pele que eu era ativista e estava envolvida, logo isso teve muita influencia em mim.img_ Katharina Rot05

Você acha que arte é um tipo de ativismo?

Pode ser. Pelo menos eu acho que a arte é sempre política, e como isso sempre permanece em relação à sociedade na qual é produzida,  na qual sempre se está comunicando alguma coisa.

Sobre isso ainda, você acha que os não veganos estão mais abertos ao veganismo quando eles vêem a sua arte, ou uma frase?

Isso possivelmente não funciona com todas as pinturas, mas eu acredito que sim. A arte é uma experiência imediata tanto quanto escrever pode ser e isso desperta as emoções de uma maneira mais direta, mas isso não poderia excluir os efeitos do texto escrito, mas eu acho que há uma cooperação em ambos para poder se fazer o melhor trabalho.

é impossível não perceber a violência contra os animais

Eu imagino que você receba muitos comentários sobre o seu trabalho. Qual a impressão dos não veganos? É negativo ou positivo? Eles usam os mesmo argumentos contra o veganismo ou eles tendem a serem mais mentes abertas?

Eu não tenho muitos amigos não veganos no meu convívio, mas quando eles vêem meu trabalho normalmente gostam. Até mesmo quando olham uma arte perturbadora que é impossível não perceber a violência contra os animais eles comumente reagem com empatia e começam  a sentir revolta com essa situação. Talvez uma imagem cause menos espaço para uma discussão do que as palavras. Mas freqüentemente eles ainda possuem dificuldade em perceber a ligação em seus próprios estilos de vida. O psicológico do ser humano é hábil em suprimir isso e precisaria ver mais que algumas pinturas para mudar os próprios hábitos.Katharina Rot111

Eu vi alguns dos seus desenhos em camisetas. Se alguém se interessasse em comprá-la, como seria possível fazer isso?

Oh verdade? Risos, eu não sabia disso. Bem uma provavelmente é “Roots of Compassion” onde você atualmente poderia comprar uma blusa com a palavra “Liberate” estampada nela. No passado haviam algumas camisetas com meus desenhos no “Silent Cries Distro”, mas eu não acho que eles ainda as tenham, mas pode ser que eles estampem novamente, não tenho certeza.

Para finalizar, você poderia comentar um livro, um filme e grupo musical (ou mais) que inspire você no veganismo? Você tem algumas dicas para falar para os não veganos que gostariam se tornar veganos no futuro?

Existem muitos livros bons os quais eu li sobre veganismo, mas todos eles são em alemão. E a lista de bandas veganas é muito longa. Mas eu poderia mencionar xTrue NatureX, a música deles me acompanham por muitos anos. Mais do que pela mídia eu me inspiro em alguns ativistas e amigos ativistas, alguns de longa data que eu às vezes me encontro e converso. 

O que eu gostaria de dizer para os não veganos e gostariam de ser? 

Bem, se você gostaria de ser vegan@ isso já é um grande passo, é só você querer, não é tão difícil hoje em dia.

A equipe CulturaVeg agradece a gentileza de Katharina Rot pelo tempo e disposição na entrevista.

Veja mais algumas ilustrações da artista Katharina Rot:

img_ Katharina Rot03 img_katharina_alf img_katharina_deer img_katharina_fox2 img_katharina_galoKatharina Rot6 Mais informações sobre a artista Katharina Rot:

ico-fbClique para acessar o Facebook oficial

link-add-iconClique para acessar Site oficial

link-add-iconClique para acessar a Loja citada na entrevista