Estudo mostra que porcos são tão inteligentes quanto crianças de 3 anos

Apesar de antigo, um estudo científico publicado na revista Animal Behaviour de 2009 começa a reaparecer na mídia neste ano e tem sua importância aumentada depois que as condições terríveis de criação dos porcos começam a ficar cada vez mais evidentes.

No estudo, realizado pelo pesquisador Donald Broom e colegas, da Universidade de Cambridge na Inglaterra, oito porcos tinham que desvendar o lugar onde se encontrava um prato de comida. Os porcos foram colocados em um ambiente novo, que não conheciam antes e os pratos estavam protegidos, de modo que fosse impossível achá-los pelo cheiro. A única informação que os porcos tinham era um espelho, que refletia a imagem do prato.img_porcos_1A tarefa dos porcos era deduzir, pelo reflexo, a localização do prato, mas antes eles teriam que ter a importante missão de entender que o prato que olhavam não era real, mas apenas um reflexo de luz.

Sete de oito porcos reconheceram a si mesmos no espelho e foram capazes de entender que a imagem de um prato de comida refletida era apenas um reflexo e não estava escondido atrás do vidro. Por fim, eles ainda conseguiram inferir a localização dos pratos por meio do reflexo e encontrá-los.

De acordo com os pesquisadores do estudo, para conseguir realizar tal proeza, os porcos tinham que ter observado as características do ambiente novo que se encontravam, lembrar destas características e do posicionamento de seus corpos no espaço, deduzir relações entre fatos observados e fatos lembrados e agir de acordo com as conclusões de suas deduções.

Para os pesquisadores, este é um importante indício de que a inteligência de porcos é tão complexa quanto a de golfinhos e chimpanzés e crianças de três anos e até superior a de cachorros e gatos, como demonstraram outros estudos. Além disso, a proeza de inferir deduções através de espelho é um dos principais testes para inteligência em animais e desenvolvimento infantil. Crianças de menos de um ano, por exemplo, não conseguem se reconhecer no espelho.img_porcos@Até então, a pesquisa é promissora por mostrar como a gula humana usa de argumentos sem sentido para justificar-se, como a falta de senciência, dor e consciência nos animais. Apesar disso, é importante destacar que mesmo animais com sistema nervoso menos complexo, como moluscos, insetos e águas vivas, sentem dor e merecem o nosso respeito, devendo ter o seu direito à existência garantida.

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=GJH1EPObWdk[/embedyt]

Veja o estudo aqui: clique aqui