Woody Harrelson: “Todos os anos, dezenas de milhares de animais sofrem e morrem em testes laboratoriais de cosméticos e produtos domésticos”

O ator Woody Harrelson ganhou visibilidade internacional quando interpretou Mickey Knox no clássico “Natural Born Killers”, de Oliver Stone, em 1994. Desde então, sua fama só cresceu. Ao contrário de muitos outros atores de Hollywood, Harrelson chegou a um ponto em que um estilo de vida extravagante já não o interessava mais, por considerá-lo superficial demais. E mais do que isso, ele decidiu ser um porta-voz dos direitos animais, sociais e do meio ambiente.

Aos 12 anos, Woody Harrelson escreveu um artigo de 50 páginas sobre os efeitos do desflorestamento. Isto foi em 1973. No colegial, ele era conhecido por dar longos discursos sobre a importância do meio ambiente, segundo informações do artigo “Animal Rights Activist and Actor Woody Harrelson is Challenged to the #VeganCancer Challenge”, publicado pelo Datsyn em 2016.

Porém, embora defendesse o meio ambiente desde a tenra idade, a história de Harrelson com a exclusão de alimentos de origem animal da dieta começou por acaso. Um dia, ele estava em Nova York quando uma moça identificou que o severo problema de acne do ator estava ligado a intolerância à lactose. Então o seu primeiro passo foi abandonar todos os laticínios. Em pouco tempo, Harrelson, que percebeu bons resultados estéticos e de saúde, abdicou dos outros alimentos de origem animal.

E ao buscar informações sobre o assunto, ele descobriu que cuidar apenas de si mesmo não era o suficiente, e decidiu tornar-se vegano. “Inicialmente foi uma busca por mais energia, mas eventualmente desenvolvi uma profunda compaixão pelos animais”, declarou em citação publicada pelo jornal britânico Telegraph em 15 de maio de 2017.

O ator fez muito mais do que isso. Se mudou com a esposa e as filhas para Maui, no Havaí, onde passaram a viver em uma comunidade auto-sustentável. No quintal de sua casa, há cinco variedades de abacate e avocado, segundo o Datsyn. Os tratores que circulam pela comunidade são abastecidos com biodiesel, e lá todas as fontes de energia são renováveis.  

Harrelson também criou uma cerveja orgânica e vegetariana. E depois, se juntou a uma amiga na idealização de um espaço vegano chamado Sage, onde são servidas kombucha e salsichas de nozes. O ator também promove o estilo de vida straight edge, embora admita que seja incapaz de segui-lo à risca, conforme informações do artigo “Woody Harrelson: ‘I’ve always been healthy. Except for my vices’” publicado pelo Telegraph em 18 de novembro de 2013.

Em 2008, Harrelson interpretou um personagem vegetariano no filme “Seven Pounds”, um pianista cego que alimenta o seu companheiro canino com uma dieta sem carne. Em uma das cenas, Ezra Turner fica furioso quando Tim Thomas, interpretado por Will Smith alimenta o cão com carne. 

Em registro da Animal Liberation Front, o ator diz que todos os anos, dezenas de milhares de animais sofrem e morrem em testes laboratoriais de cosméticos e produtos domésticos, apesar dos resultados não ajudarem a evitar o uso indevido e acidental desses produtos. “Por favor, junte-se a mim e use sua voz para falar por aqueles cujos gritos estão selados para sempre na porta dos laboratórios”, pediu o ator.

“Inicialmente foi uma busca por mais energia, mas eventualmente desenvolvi uma profunda compaixão pelos animais”,

Em 2011, Woody Harrelson enviou uma carta para o chefe de gabinete do Exército dos Estados Unidos falando sobre o cruel envenenamento de macacos nas experiências realizadas pelo Exército em Aberdeen Proving Ground, em Maryland. A carta recebida pelo general Raymond T. Odierno descreveu como os macacos sofriam uma overdose forçada que incluía “sintomas de intoxicação química, convulsões, dificuldades respiratórias e descontrole intestinal”. Ele pediu ao general para interromper essa atividade brutal, a substituindo por simuladores.

Em 2012, quando o Senado dos Estados Unidos estava considerando permanentemente banir o uso de chimpanzés em experimentos invasivos e retirá-los de propriedades federais para enviá-los a santuários, Harrelson escreveu uma carta para Barbara Boxer, uma das senadoras da Califórnia, em nome da organização Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (Peta), implorando para que ela se empenhasse na aprovação do projeto de lei, levando em conta que ela tinha um papel determinante nisso como presidente do Comitê do Senado Sobre Meio Ambiente e Obras públicas.  

Woody Harrelson endossou uma forte campanha que contribuiu com o fim do uso de chimpanzés em experiências militares nos Estados Unidos. “Mil desses seres complexos estão confinados em laboratórios dos Estados Unidos – alguns por até 50 anos – onde foram intencionalmente infectados com HIV/Aids e hepatite, e forçados a suportar décadas de procedimentos invasivos, medo, solidão e dor. Essa experiência infernal deixa cicatrizes emocionais ao longo da vida dos chimpanzés, e muitos deles recorrem à automutilação ou sofrem de depressão. Outros sofrem de transtornos psicológicos por anos após o trauma de ter suas mentes e corpos violados.” Em todos os seus apelos, o ator pediu que a população dos EUA também enviasse cartas reivindicando o mesmo pedido.

Woody Harrelson em campanha em prol do veganismo

Em 2009, Harrelson participou de uma campanha contra o uso de gatos abandonados em experiências de vivissecção. Muitos felinos foram comprados de abrigos de animais pela Texas Tech University Health Sciences Center. Os animais eram abusados e mortos em treinamento médico. Os membros do corpo docente e os formandos enfiavam tubos de plástico nas gargantas dos gatos e agulhas em seus peitos em procedimentos que resultavam em sofrimento e morte. A contradição é que tanto a Academia Americana de Pediatria quanto a Associação Americana do Cardiologia endossam exclusivamente o uso de manequins modernos e humanos, não animais vivos para esse tipo de treinamento em seus cursos.

“Ferir e matar animais com essa finalidade é injustificável, especialmente porque os manequins são realistas e representam precisamente a anatomia humana, assim preparando melhor os médicos para lidarem com crianças feridas e doentes. Eu e um incontável número de pessoas desse estado estamos profundamente desapontados em saber que a Texas Tech está se aproveitando da trágica abundância de animais abandonados”, criticou Harrelson. No final do ano, a universidade do Texas anunciou que não usaria mais gatos em suas experiências.

Saiba Mais

Woody Harrelson nasceu em 23 de julho de 1961 em Midland, Texas. Entre os seus filmes de maior prestígio estão “Natural Born Killers”, “Zombieland”, “No Country for Old Men”, “Edge of Seventeen”, “The People Vs. Larry Flint”, “Seven Psychopaths”, “The Messenger”, “Wag the Dog”, “Transsiberian”, “A Prairie Home Companion” e “Welcome to Sarajevo”. 

O site Cultura Veg agradece imensamente o jornalista cultural David Arioch pelo excelente guest post sobre o ator vegano Woody Harrelson. Para conhecer mais sobre o trabalho do David acesse o site nos links abaixo, um site rico em informações sobre direito dos animais, historias, dicas e muita cultura.

Referências

http://www.datsyn.com/article/5355/2016/02/05/Animal-Rights-Activist-and-Actor-Woody-Harrelson-is-Challenged-to-the-VeganCancer-Challenge

http://www.telegraph.co.uk/food-and-drink/news/national-vegetarian-week-20-celebrities-on-why-they-gave-up-meat/

http://www.telegraph.co.uk/culture/film/10428577/Woody-Harrelson-Ive-always-been-healthy.-Except-for-my-vices.html

http://animalliberationfront.com/Saints/Authors/Quotes/quotes3.htm

https://www.peta.org/blog/woody-harrelson-great-ape-defender/

https://www.peta.org/blog/woody-harrelson-bashes-hometown-cat-killers/